Coronavírus: Governo decreta situação de emergência e pedirá à ALMS estado de calamidade

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (19), o governador Reinaldo Azambuja anunciou que vai decretar situação de emergência por conta do novo coronavírus, o Covid-19. Além disso, encaminhará um decreto legislativo pedindo a implantação de estado de calamidade pública.

 – Midia Max

Azambuja explicou que o decreto sairá oficialmente nesta sexta-feira (20) em publicação no DOE (Diário Oficial do Estado). O decreto legislativo será entregue a ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) também nesta sexta, mas dependerá de avaliação dos deputados estaduais para implantar o estado de calamidade pública.

Com o decreto, abre-se a possibilidade para que o Estado descumpra algumas regras da responsabilidade fiscal, tenha flexibilização dos gastos e poderá assim, ampliar os recursos na compra de utensílios e medicamentos, além de permitir a contratação de profissionais na área da saúde.

“Esse decreto faz uma flexibilização, se a assembleia assim aprovar, de algumas metas fiscais que poderão ser descumpridas por Mato Grosso do Sul. Se nós não tivermos um decreto desse que nos ampare, teremos enormes responsabilidades e podemos até criar problemas maiores para o povo sul-mato-grossense. Estamos enviando para a assembleia para que eles nos autorizem o decreto de calamidade para que a gente possa ter tranquilidade”, afirmou Reinaldo Azambuja.

O governador ainda declarou que o momento é de luta contra a doença e pede para que as pessoas permaneçam em casa, evitando aglomerações que ajudaria na propagação do coronavírus. “Momento agora é de preservar vidas, nós temos que fazer todo o esforço conjunto, de manter o maior número de pessoas dentro das residências. Evitar o maior número de circulações de pessoas que possam estar indo e vindo”.

Coronavírus em MS

Nesta quinta-feira (19), a SES (Secretaria de Estado de Saúde) divulgou o boletim epidemiológico atualizando o número de casos confirmados que subiu para 9. Ainda de acordo com a secretaria, há 39 casos suspeitos em MS e as notificações da doença saltaram de 147 para 171 em 24 horas.