Com trocas de partidos, PSDB e DEM lideram prefeituras de MS

Com a proximidade das eleições municipais, é comum a troca de partidos por parte de prefeitos e vereadores. Diferentemente do Legislativo, os chefes do Executivo não precisam aguardar a janela partidária e as mudanças vão acontecendo no decorrer do ano. Conforme o último levantamento da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), o PSDB e o DEM são as agremiações que mais têm filiados prefeitos.

Yarima Mecchi – Correio do Estado

Os tucanos têm, atualmente, o comando de 47 cidades, enquanto o DEM conquistou 12. Em um comparativo com o resultado das eleições em 2016, o PSDB conseguiu filiar mais 11 prefeitos, enquanto o DEM, que elegeu apenas três representantes, conquistou nove adeptos.

A ascensão do partido veio com o resultado das eleições de 2018. No governo de Jair Bolsonaro, o DEM conquistou três ministérios, dos quais dois foram de Mato Grosso do Sul, sendo a responsável pela pasta de Agricultura, Tereza Cristina, que permanece no cargo, e o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, exonerado no dia 16 de abril.

A nível regional, o DEM tem dois deputados estaduais, Zé Teixeira e Barbosinha, que é pré-candidato à prefeitura de Dourados, além do vice-governador e secretário de Infraestrutura, Murilo Zauith.

O PSDB já liderava em número de prefeitos eleitos em 2016, o partido conseguiu 36 nas urnas e cresceu com as articulações políticas em 2020. Os tucanos estão em um bom momento. Além dos municípios, o partido tem a administração do Estado, com o governador Reinaldo Azambuja reeleito em 2018, e o comando da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems) e da Câmara Municipal de Campo Grande, sendo a maior bancada nas duas Casas de Leis.

Os outros municípios do Estado são gerenciados por nove agremiações. Seguido do PSDB e do DEM, vem o MDB, que, segundo a Assomasul, tem oito prefeituras. O partido começou com o 17 representantes nos municípios, mas teve uma queda com as mudanças comuns nesse período.

Com dois municípios cada, PSB, PL e Patriotas também tiveram uma redução em seus representantes, elegeram cinco, oito e três chefes do Executivo, respectivamente. O PDT segue com dois prefeitos eleitos.

Três agremiações têm um prefeito eleito cada, sendo a Capital comandada pelo PSD de Marcos Trad; o PTB em Dourados, com a prefeita Délia Razuk, que era do Partido Liberal (PL), e o PSL em Sidrolândia, com Marcelo de Araujo Ascoli.

As eleições municipais deste ano estão previstas para ocorrer no dia 4 de outubro, porém, a data pode ser alterada por conta da pandemia do novo coronavírus. A decisão será do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).