A tabacaria onde Erick Vinicius Leite Messias, de 18 anos, foi assassinado na madrugada desta sexta-feira (23) já foi lavo de várias reclamações de moradores da região pelo som alto e a bagunça no local.

(Erick chegou a ser socorrido, mas chegou morto na UPA, Foto: Marcos Ermínio)

e  – Midia Max

Um morador que não quis se identificar contou ao Jornal Midiamax, que só a família dele já fez pelo menos 60 reclamações do local ligando para a polícia, mas que os militares nunca apareceram para a averiguar a situação.

Ainda segundo ele, o local começa a funcionar por volta das 20 horas da noite e só fecha às 8 da manhã do dia seguinte. Meninas com idades entre 12 e 13 anos já foram vistas na tabacaria durante a madrugada. O homem, de 38 anos, ainda contou que há 15 dias um jovem foi esfaqueado 9 vezes no local. E há três meses outro rapaz foi ferido a tiros na tabacaria.

Durante a madrugada desta sexta (23), Erick Vinicius foi assassinado com dois tiros no tórax. A confusão que acabou em morte começou por volta das 3 horas da madrugada, quando Erick estava na tabacaria e teve uma discussão com um rapaz conhecido por Henrique ‘Neguinho’, que foi embora do local, mas voltou momentos depois armado. Ele fez dois disparos contra o tórax da vítima, que foi socorrida pelo dono da tabacaria.

Erick foi levado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) das Moreninhas, mas chegou sem vida a unidade de saúde. A polícia foi chamada e descobriu o endereço do suspeito, mas ao chegar a residência ele não estava no local. ‘Neguinho’ é procurado pela polícia.

Facebook Comments