Mesmo após fim das manifestações, Exército continua monitorando rodovias

256

Mesmo após o fim das paralisações dos caminhoneiros, o Exército continua nas estradas de Mato Grosso do Sul até o dia 4 de junho para garantir o fluxo de veículos. Os militares estão com quatro pontos de patrulha no Estado.

LEANDRO ABREU E GABRIELA COUTO – CORREIO DO ESTADO

Conforme o comandante Militar do Oeste, general José Luiz Dias Freitas, o Exército criou corredores de segurança e monitora as estrada para reestabelecer de forma normal e progressiva os serviços. Os corredores criados ligam as cidades de Dourados-Campo Grande-Cuiabá, Três Lagoas-Campo Grande-Corumbá, Campo Grande-Porto Murtinho e Campo Grande-Chapadão do Sul.

Hoje (31), o Comando Militar do Oeste (CMO), em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou um balanço da normalização após a paralisação dos caminhoneiros. Além de Mato Grosso do Sul, o comando também atuou no Mato Grosso durante esses dias.

Foram 12 escoltas no estado vizinho e 97 aqui no Estado. “O decreto do presidente vai até o dia 4 de Junho. É possível que seja adiado, mas acredito ser improvável”, comentou o comandante.

Entre as cargas escoltadas pelo CMO estava diesel, querosene de aviação e gasolina. “A integração das forças foi fundamental para o sucesso da operação”, completou o general.

Conforme o superintendente regional da PRF, Luiz Alexandre Gomes da Silva, os agentes da corporação continuam em atenção e para normalizar o fluxo de veículos houve mudança na Operação Corpus Christi. “Hoje não há nenhum bloqueio ou mobilização nas rodovias federais do Estado. Estamos com a Operação Corpus Christi em ação e suspendemos a restrição de veículos dessa vez, para que o tráfego volte a fluir”, comentou.

A PRF realizou um total de 111 escoltas de carga, incluindo caminhoneiros que queriam sair das mobilizações, mas tinham medo de represálias dos outros motoristas. Nesses casos, eles acionavam a corporação via 191 e uma equipe orientava o profissional, o escoltava e regatava para um local seguro.

Facebook Comentarios