Menina de 2 anos é flagrada com baterias no intestino durante visita em prisão

403

Polícia Civil investiga um caso em que uma menina de dois anos, acompanhada de sua mãe, levava três baterias cilíndricas em seu intestino durante uma visita a um preso na Penitenciária de Junqueirópolis. O delegado Victor Biroli informou ao G1 que o fato foi comunicado à polícia nesta terça-feira (29) e um Boletim de Ocorrência sobre o episódio também foi registrado.

Conforme a Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP), a criança de dois anos passava pelo detector de metais quando o aparelho acionou. Questionada sobre o ocorrido, a mãe, que já havia passado pela revista e aguardava a filha, não soube informar o porquê do acionamento do equipamento.

Foi sugerido à mulher, e consentido, que a criança fosse encaminhada ao Pronto Atendimento Municipal para a realização de exame de raios-X, no qual constatou-se a presença de três objetos metálicos no intestino da menina, segundo a SAP.

Enquanto aguardavam atendimento médico, a garota pediu à mãe para ir ao banheiro e evacuou as três baterias em formato cilíndrico de aproximadamente oito milímetros cada, de acordo com a secretaria.

Ainda segundo a pasta estadual, as baterias seriam entregues ao companheiro da mulher que cumpre pena na Penitenciária de Junqueirópolis.

G1

A mãe não explicou nada sobre o fato, sendo prontamente suspensa do rol de visitas. O sentenciado envolvido foi encaminhado ao Pavilhão Disciplinar da penitenciária, enquanto a mãe, a criança e os objetos foram levados para a delegacia, segundo a SAP.

O delegado Victor Biroli informou ao G1 que, a partir do registro do caso, a polícia vai investigar a conduta da mãe com relação à filha para uma eventual situação de maus-tratos ou até mesmo de lesão corporal no episódio em questão.

A SAP ressaltou que neste tipo de situação é instaurado Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade do preso que receberia os materiais.

Facebook Comentarios