Marun prevê apoio à ‘candidatura lúcida’ e vê Lula e Bolsonaro enfraquecidos

296

O governo do presidente Michel Temer (MDB) ainda não definiu seu apoio para as eleições gerais de outubro de 2018, e o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), projeta que os dois candidatos que lideravam pesquisas chegarão enfraquecidos ao pleito.

Ludyney Moura e Richelieu Pereira – Midia Max

Durante coletiva à imprensa na sede regional do MDB, Marun afirmou que o ex-presidente Lula (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro, que está de mudança do PSC para o PSL, não devem polarizar a disputa em outubro.

“Tenho certeza que o Lula não é mais candidato, pois a lei da ficha limpa é clara, condenado em 2ª instância fica inelegível”, afirmou Marun sobre o ex-presidente.

Já sobre o deputado carioca, o ministro pontou que seu apoio popular perdeu força após o parlamentar declarar voto contrário à reforma da previdência, bem como a opção pelo PSL que deve deixa-lo sem tempo de TV, o que o deixaria, hoje, apenas com o apoio de uma parcela mais ‘radical’ da população.

Na visão do ministro, principal articulador político do governo Temer, uma ‘candidatura lúcida’, deve ganhar força até outubro, e pode ter apoio do governo, caso o presidente opte por não disputar a reeleição.

Como ‘candidatura lúcidas’ Marun citou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD-SP), como possíveis nomes a terem o apoio de Temer na eleição.

Nomeação
Carlos Marun voltou a frisar que considerou interferência do judiciário em uma prerrogativa do presidente da República, a decisão que barrou a nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o ministério do Trabalho, e destacou que o governo vai lutar por manter o direito de escolher seu ministro.

Facebook Comentarios