O Governo de Mato Grosso do Sul vai declarar situação de emergência devido ao aumento considerável de queimadas registradas no Estado. A medida vai ser oficializada no Diário Oficial de quinta-feira (12), de acordo com o secretário da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul), Jaime Verruck, que faz coletiva de imprensa nesta manhã para falar sobre a situação.

, e  – Midia Max

Um documento com os números de incêndios foi enviado ao Ministério de Integração Regional pedindo a destinação de aeronaves para o combate dos focos.

Relatório divulgado nesta quarta-feirapela Cedec (Coordenadoria de Defesa Civil de MS), aponta que mais de 1 milhão de hectares de vegetação foi destruída pelas queimadas, no período de 1º de agosto a 9 de setembro deste ano. Os focos de calor continuam intensos, devido a prolongada estiagem, com maior concentração no Pantanal e na Serra da Bodoquena.

A situação também foi comentada por deputados estaduais na Assembleia Legislativa. Uma reunião “entre hoje e amanhã” com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) vai debater esse e outros assuntos, afirmou o deputado Márcio Fernandes (MDB).

Para o parlamentar, o governo federal precisa enviar recursos financeiros, mas também apoio estrutural para resolver as consequências das queimadas. Neno Razuk (PTB) diz que o Pantanal não está sendo lembrado, meio às preocupações sobre a Amazônia. Ele afirma que vai acionar a Comissão de Meio Ambiente da Casa de Leis para poder discutir a questão.

Segundo Coronel David (PSL), a despeito da observação dos colegas, a União sempre ajudou Mato Grosso do Sul no combate às queimadas. Entre 2000 e 2002, quando comandou a Polícia Militar, o governo federal enviou brigadistas, além de apoio do Exército e da Marinha. Agora, os estados do Nordeste estão sendo ajudados, afirma.

Facebook Comments