Em um ano, preço do gás de cozinha em MS sobe cinco vezes mais que a inflação

279
Na Capital, a alta sobre o gás de cozinha foi menor - Foto: Gerson Oliveira/Correio do Estado

Em um ano, preço do gás de cozinha alcançou R$ 73,82 em Mato Grosso do Sul e subiu cinco vezes mais que a inflação oficial medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), além de consumir quase 8{31baeec2d7e670693bd21e4bc22c63494147b7e886d9b88716f95cd1d0ee147e} do salário mínimo do trabalhador no mês. É o que apontam dados do levantamento de preços mensais da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com base na primeira semana deste mês e dezembro de 2016, comparado com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta semana.

Daniella Arruda – Correio do Estado

De acordo com os números da ANP, no intervalo de 12 meses o preço médio do botijão de GLP (gás liquefeito de petróleo) no Estado teve alta de 14,54{31baeec2d7e670693bd21e4bc22c63494147b7e886d9b88716f95cd1d0ee147e}, saltando de R$ 64,45 para R$ 73,82.

Em termos de impacto sobre o rendimento, um ano atrás o consumidor pagava o equivalente a 7,32{31baeec2d7e670693bd21e4bc22c63494147b7e886d9b88716f95cd1d0ee147e} do salário  mínimo então vigente (de R$ 880,00) para comprar um botijão por mês; neste ano, o percentual passou para 7,87{31baeec2d7e670693bd21e4bc22c63494147b7e886d9b88716f95cd1d0ee147e}.

Na Capital, a alta sobre o gás de cozinha foi menor, mesmo assim os campo-grandenses também tiveram impacto no orçamento doméstico, de 9,64{31baeec2d7e670693bd21e4bc22c63494147b7e886d9b88716f95cd1d0ee147e}: o botijão passou de R$ 66,40 para R$ 72,80.

Facebook Comentarios