Em MS, Marun diz que seguirá posicionamento do MDB para apoiar Odilon

272

Em Sidrolândia participando da inauguração de uma unidade da PRF (Polícia Rodoviária Federal) na BR-060, o ministro da secretaria de Governo da Presidência, Carlos Marun, falou sobre o cenário político no Estado. O ministro diz que seguirá a orientação do partido e votará em Odilon de Oliveira (PDT) no segundo turno.

e  – Midia Max

Marun afirmou que em função das atividades que desempenha em Brasília, não tem participado do segundo turno da disputa ao Governo do Estado. No entanto, o ministro afirmou que liberou companheiros próximos para decidirem conforme sua “consciência”.

“ Eu devo seguie a tendência do partido. Fiz exatamente o que o partido fez, liberei os mais próximos a decidirem com sua consciência. Em termos de voto, se votar, votarei em conformidade com a determinação do MDB”, disse Marun, ressaltando que não votou no primeiro turno porque teve que passar o dia no Distrito Federal.

Delação

O ministro também falou sobre suposta colaboração premiada que a esposa do ex-governador André Puccinelli (MDB) estaria cogitando em fazer caso o marido e o filho permanecerem presos até o fim do ano. André já afirmou que a informação de jornalista carioca não procede.

“Isso é uma comédia de quem não entende de legislação, delação quem faz é criminoso. Dona Beth não está sendo acusada de nada, mulher digna e honrada”, disse Marun.

Vida pública

Conforme já havia adiantado ao Jornal Midiamax nesta semana, Marun disse que pretende se afastar da vida pública em janeiro e depois das férias deve atuar como advogado em Brasília e em Campo Grande.

O ministro é cotado para assumir caga no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) destinada a indicação da Câmara dos Deputados. “Alguns parlamentares entendem que eu deveria ocupar essa vaga na Câmara. Não digo que não, mas não está nos meus planos imediatos”, completa Marun.

Facebook Comentarios