Em carta para MS, Lula chama tucanos de golpistas e pede votos para petistas

325

Mesmo preso em Curitiba, no Paraná, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enviou uma carta para militantes de Mato Grosso do Sul. O texto, que critica tucanos e pede votos para petistas do Estado, foi lido na manhã deste sábado (28) durante a convenção do partido, em Campo Grande.

e  – Midia Max

Lula começa a mensagem afirmando que a estrela do partido precisa “brilhar de novo na bandeira do Mato Grosso do Sul” para que o partido volte a atuar no Estado. O ex-presidente disse que o partido precisa fazer o que mais sabe “cuidar de todos, principalmente de quem mais precisa e fazer economia crescer”.

Outro apelo do ex-presidente foi pedir votos para os petistas. Humberto Amaducci, que foi prefeito de Mundo Novo por três mandatos, é o candidato ao Governo pelo PT e Zeca do PT ao Senado.

“Sei que o Zeca vai deixar saudade no Mato Grosso do Sul, mas nós precisamos dele em Brasília, no Congresso Nacional, onde ele vai nos ajudar a governar o Brasil, pondo fim à série de atentados contra o povo brasileiro cometidos pelos golpistas de Michel Temer e seus aliados tucanos”, afirmou.

Ainda com tom de crítica ao presidente, Lula afirmou que o brasileiro precisa mostrar, no dia 7 de outubro, que “não foge à luta”. Confira a carta na íntegra no final da reportagem.

Convenção

Ao Jornal Midiamax, Amaducci, que foi prefeito de Mundo Novo por três mandatos, afirmou que o desempenho tímido nas pesquisas é recorrente com o PT, mas que ao final da disputa os números devem melhor. A advogada de Três Lagoas, Luciene Silva, será a vice na chapa ao Governo.

Antes do início da convenção, o candidato ao Governo criticou algumas ações de Reinaldo Azambuja (PSDB), atual governador. Sobre a reforma da previdência estadual, Amaducci afirmou que faltou diálogo do tucano com os servidores.

“O governo foi truculento ao aprovar essa reforma. No meu governo vamos minimizar o impacto dessa reforma, conversando com os servidores, será nossa prioridade”, completou.

Zeca do PT afirmou que a escolha do partido em se lançar com chapa própria seguiu o mote do “mais vale estar sozinho do que mal acompanhado”. O objetivo do PT nas eleições será manter dois deputados federais, um senador e cinco ou seis deputados na Assembleia Legislativa.

Confira a carta do ex-presidente na íntegra:

Facebook Comentarios